Sobre coleiras de ensino

Coleira de ensino, também chamada de coleira de impulsos, coleira de estímulos, e-collar, entre outros nomes mais ou menos originais e pomposos, que servem apenas para não a chamar pelo  verdadeiro nome: Coleira de choques! Que tem como função dar choques.

Imagine o que é sentir uma corrente elétrica a percorrer o corpo e ser incapaz de a fazer parar, não saber o que está a acontecer e não saber porque está a acontecer. Agora imagine passar por isto várias vezes ao dia, durante vários dias, semanas, meses, anos… Até perder a vontade de fazer o que quer que seja para evitar esta sensação. É isso que acontece com muitos cães que têm a infelicidade de cair nas mãos daqueles ignorantes que nunca experimentaram esta sensação, mas acreditam e insistem em fazer acreditar que “apenas faz umas cócegas” ou “é só uma vibraçãozita”. É MENTIRA!!!

Não vou sequer explicar o que pode acontecer ou os danos que os cães podem sofrer pelo uso dessas coleiras. Vou só relatar o que já vi acontecer, (os mais sensíveis decidam se querem continuar a ler).

Já vi cães a ganir como se estivessem a ser esmagados e espancados sem dó nem piedade. Vi cães a contorcer-se no ar, literalmente a levantar voo enquanto a corrente elétrica lhes percorria o corpo. Vi cães a defecar e a urinar-se sem controlo nesses momentos.

E vi um cão, que ao receber a descarga máxima, não tinha qualquer reacção, apenas inclinava ligeiramente a cabeça. Estou a falar de uma coleira com 12 níveis de intensidade ou estimulação, como lhe chamam os maltratadores. 

Para este cão, aquela intensidade já não era nada. Já estava completamente habituado, tinha ganho resistência, tinham sido muitos anos a passar por aquilo…

A foto que acompanha este texto, embora não dê para perceber muito bem é a zona da garganta, onde se coloca a coleira. Há uma parte onde não há pêlo, é simplesmente a cicatriz da ferida que ele tinha quando chegou às minhas mãos. O uso intenso da dita coleira de ensino provocou aquela ferida. Provavelmente foi retirada por ter saido daquele inferno. Provavelmente enquanto lá esteve a coleira estava com ele a maior parte do tempo, daí a ferida ser tão grande, daí a insensibilidade ao choque ser enorme!

Os “entendidos” dizem que o cão aprende, é mais uma mentira originada pela ignorância e falta de empatia. A única coisa que o cão aprende é que se ficar quieto não acontece nada. Ficamos com um cão sem amor próprio, com medo de tudo e em alerta constante. Ficamos com um cão destroçado.

Na altura da foto a cicatriz era já um calo, era um pedaço de pele duro que com o tempo frio gretava e sangrava, só melhorava ligeiramente com creme hidratante. Foi um dano fisico que ali ficou para sempre Os piores danos, as piores marcas, estavam onde não se consegue ver e onde dificilmente se chega.

João Pedro

Educador Canino

Mania dos Cães – Educação e Treino Canino