Medo! Como ajudar um cão?

O que é o medo?

Se pesquisarmos o significado encontramos a seguinte definição: “Estado emocional resultante da consciência de perigo ou de ameaça, reais, hipotéticos ou imaginários. 

Ausência de coragem.

Preocupação com determinado facto ou com determinada possibilidade.”

(Dicionário Priberan da lingua portuguesa)

Já todos vimos cães com medo, mas será que estes cães apenas fogem ou ficam encolhidos? Não, um cão se estiver assustado, ou em pânico também pode rosnar e até morder, é a chamada comunicação! Por muito estranho que pareça agressão é uma defesa, é uma resposta extrema a um medo intenso, é “o último recurso”.

Seja qual for o comportamento de um cão com medo a forma de o ajudar é a mesma! Dar espaço! Convido-os a colocar-se na seguinte situação:

Estão numa cidade desconhecida, nem fazem ideia qual o pais. É de noite, há pouca luz e as ruas estão completamente desertas. Vocês não sabem sequer para onde querem ir ou o que pode acontecer a seguir. Do nada aparece alguém que vai na vossa direcção a falar um idioma que é desconhecido…O que sentem? A resposta será muito provavelmente medo! 

Mas há aqui um aparte, essa pessoa que se aproximou foi apenas tentar ajudar e apenas perguntou se precisavam de ajuda, mesmo assim vocês assustaram-se! Agora imaginem aquelas cenas em que está alguém a tentar ajudar um cão assustado, não é difícil e até se pesquisarmos aparecem várias em vários canais. Essa pessoa está, na maior parte dos casos a tentar ser amiga do cão e insiste na aproximação. O que acontece é que assusta ainda mais o cão. Alguns dirão: “mas depois o cão perdeu o medo” e eu digo: sim, mas deu uma volta que não era necessária e passou por um processo também ele desnecessário, tudo pela pressa, vontade de ajudar e querer ver resultados.

Para ganhar a confiança destes cães há uma técnica que é infalível:

Chama-se “Dar espaço”! 

Como é que dar espaço ajuda a perceber que pode confiar?

Não se sente encurralado e por isso não fica mais assustado.

Pode conhecer-nos, perceber como é o nosso comportamento e que não somos uma ameaça.

E como os cães têm uma vontade natural de estar perto de nós essa vontade e curiosidade falam mais alto e em pouco tempo temos um cão que nos procura. Mas atenção, é sempre importante ser o cão que vem para nós e nunca o contrário. 

Um cão com medo deve fazer o que quer, como quer e quando quer. É nossa responsabilidade tirá-lo das situações que o assustam para o ajudarmos. Nunca devemos forçar um cão com medo a estar perto das situações que o assustam é aí que pode começar a ocorrer o comportamento de morder. Os cães não mordem porque gostam ou porque têm maus instintos, mordem porque têm medo e já esgotaram todas as formas que tinham de pedir espaço. 

João Pedro

Educador Canino

Mania dos Cães – Educação e Treino Canino