Os cães fazem asneiras?

Será que os cães fazem mesmo asneiras ou somos nós que dizemos que fazem de cada vez que encontram uma ocupação que destrói alguma coisa nossa?

Porque é que um cão faz asneiras? São mesmo asneiras? O cão tem consciência de que fez uma asneira? Como é que podemos evitar as asneiras?

Em primeiro lugar temos que perceber que um cão é um ser vivo dotado de inteligência, como tal tem necessidade de explorar o ambiente que o rodeia e por isso é natural que vários objectos no espaço onde está lhe despertem interesse. Depois qualquer ser inteligente tem necessidade de uma ocupação, de um trabalho, de uma tarefa, em resumo, alguma coisa para fazer. Qualquer pessoa que esteja num espaço sem nada para fazer e sem companhia começa a sentir-se aborrecida, ansiosa, em stress, porque tem inteligência tal como os cães e isso faz com que procure uma ocupação.

A maior parte dos cachorros têm fama de destruidores, mas são mesmo? Um cachorro faz estragos por vários motivos, os principais são a curiosidade/necessidade de explorar o mundo que o rodeia, a mudança da dentição e principalmente porque nós humanos não fazemos uma correcta gestão do ambiente onde o cachorro está, ou seja deixamos objectos que têm valor para nós ao seu alcance, não fechamos portas e acima de tudo esquecemos de deixar ao cachorro objectos interessantes que ele possa estragar, ou seja os seus brinquedos. Nesta parte há quem diga: “mas ele tem muitos brinquedos e não quer saber de nenhum!”, pois é, mas esses brinquedos têm vários problemas, estão sempre disponíveis, o que faz com que rapidamente deixem de ser interessantes e na sua maioria não se mexem sozinhos e por isso não são estimulantes para a maioria dos cães. Roer faz parte da natureza de um cão, não se ensina um cão a não roer, apenas podemos orienta-lo para aquilo que ele pode roer oferecendo-lhe objectos que lhe interessem e trocando-os diariamente de forma a que continuem a ser interessantes, por exemplo, diariamente deixamos 2 ou 3 brinquedos e os outros ficam guardados, no dia seguinte trocamos por outros, desta forma o cão demora muito mais tempo a perder o interesse nesses brinquedos. Se por acaso um cão não mostrar curiosidade num brinquedo novo é porque simplesmente esse brinquedo não lhe agrada por qualquer razão.

Portanto para evitar que um cachorro faça estragos há duas técnicas que nunca falham, proporcionar-lhe objectos/brinquedos que ele possa roer e “fechar a porta”, que é como quem diz, criar condições para que o cachorro não tenha acesso a coisas que possa estragar.

 

E as asneiras dos cães adultos?

Um cão adulto que já passou a fase da exploração, da mudança dos dentes, da brincadeira constante tem outros motivos para fazer estragos, um deles é o stress e aqui há sempre quem diga: “Stress? Que stress? Ele tem uma vida santa, não tem que se preocupar com nada!” Errado! Um cão tem inteligência e preocupa-se com várias situações, como por exemplo quanto tempo mais vai ficar sozinho em casa e isso causa-lhe demasiado stress o que o leva a procurar uma ocupação para tentar reduzir esse stress e não para chamar a atenção como algumas pessoas insistem em dizer. Já agora se for para chamar a atenção é mais uma prova da inteligência do cão e por isso devemos tratá-los como seres inteligentes.

Um cão adulto precisa de passeios, estimulação, companhia etc, se tudo isso for proporcionado não há asneiras mas sim um cão tranquilo, equilibrado. Quando um cão faz aquilo que chamamos “asneira” está a dar-nos informação valiosa que nos pode ajudar a melhorar o relacionamento com ele e facilitar-nos a vida, por isso devemos perceber o que se passa e ajudá-lo a gerir as suas necessidades.

 

Os cães não fazem asneiras, exploram, arranjam ocupações, tentam reduzir o stress que sentem, dão-nos informações que devemos aproveitar.

 

João Pedro

Educador Canino

Mania dos Cães Educação e Treino Canino