Passear o cão…com qualidade!

Um passeio de qualidade não é um passeio onde vemos vários cães juntos a caminhar, isso é fazer km. Para um cão ter um passeio de qualidade devemos respeitar o seu espaço, o seu tempo e as suas necessidades. Cada cão é único e como tal ser sujeito a passear com outros cães não será nada agradável. Já agora o passeio é para o cão sair de casa, aproveitar o ambiente, apanhar ar, não é para chegar lá fora fazer as necessidades e ir para casa. Um passeio sendo para o cão também não é para o humano ir a obrigá-lo a andar ao seu lado sem o deixar parar para cheirar e sempre a dar-lhe puxões na trela acompanhados de ordens, isso considero um grave transtorno de personalidade que está a ser descarregado no cão. Para um cão muitas vezes o passeio é o único momento em que tem alguma distração, pode sair de casa depois de várias horas fechado e sozinho, para quê transformar esse momento num momento de desconforto? É muito fácil passear um cão, basta andar calmamente sem dizer nada, ele sabe exactamente o que tem que fazer.

João Pedro

Mania dos Cães – Educação e Treino Canino

O uso do não na educação do cachorro

Será que há mesmo necessidade de dizer a palavra “Não” na educação do cachorro? Vejamos, esta palavra funciona (quando funciona) como uma forma de parar um comportamento indesejado, portanto do ponto de vista do humano se o cão parar resulta, mas o que acontece do ponto de vista do cão? Em primeiro lugar poderá parar o comportamento, mas o mesmo poderá acontecer se dissermos “Sim” ou outra palavra qualquer no tal “tom firme” que é aconselhado, ou seja, o cão vai parar pelo tom e não pela palavra em si. Em segundo lugar, se o cão parar qual é a alternativa que tem? O que é que poderá fazer? Fica sentado? Vai embora? Repete o comportamento noutro lado? Tenta outro comportamento que não queremos? Para o cão pode ser complicado perceber o que queremos por isso o melhor será ensinar-lhe um comportamento alternativo e depois quando o cão estiver a ter um comportamento indesejado substituimos o “NÃO” pela palavra que leva o cão a fazer o que lhe pedimos, por exemplo se o cão salta para ter atenção podemos ensinar-lhe o sinal “para baixo” que significa que ao ter as 4 patas no chão o cão terá a atenção que está a pedir.
Pessoalmente já deixei de utilizar a palavra “não” na educação dos cachorros há vários anos e resulta lindamente com a agravante de o discurso ser muito menos negativo.

João Pedro

Mania dos Cães – Educação e Treino Canino

Treinadores de cães, treino, escolas, etc…

Hoje em dia “florescem” escolas de treino, creches para cães, treinadores, especialistas em “qualquer coisa” que esteja ligada a treino ou comportamento, treinadores certificados quando não há entidade nenhuma para certificar quem quer que seja, pessoas que assinam com o nome seguido de uma série de iniciais que ninguém sabe muito bem ou nem sabe o que aquilo significa mas acham o máximo, treinos online, treinos à distância, cães treinados ao kg e sei lá eu o que mais… Aparecem pessoas formadas em escolas no estrangeiro ou que pertencem a não sei quantas associações de treino que não têm qualquer valor oficial nem no seu próprio país muito menos no estrangeiro. Aparecem videos e fotografias publicadas por essas pessoas que nem deveriam existir pois são exactamente o oposto do que foi feito nessas formações. A expressão “treino positivo” foi banalizada e é utilizada por todo aquele que treina cães porque se o cliente não ouvir a tal palavra pode fugir e depois temos coisas ridículas como um indivíduo a treinar com reforço positivo e um cão com uma coleira estranguladora ou de picos ou o comando de uma coleira de choques na mão ou até um chicote para cavalos… E depois há uma situação que talvez ainda ninguém tenha reparado! No meio disto tudo aparecem cada vez mais cães com problemas e problemas sérios!

Num sector que não tem regulamentação qualquer um se pode auto intitular do que quiser ou fazer formação (e não há qualquer problema em fazer formação desde que de qualidade). Ninguém regula nada, ninguém fiscaliza nada e tudo perde o valor e a credibilidade porque anda meia dúzia de pessoas preocupada em mostrar títulos que têm o valor que têm e para quê? Para confortar o ego? No meio desta palhaçada toda quem fica mal são os cães. Deixem-se de teatro e trabalhem com os cães.

Nota: Esta publicação não é para atingir alguma pessoa ou pessoas em particular, é sim para mostrar o estado do treino, é uma critica a todos os que estão a contribuir para a banalização e o desacreditar do que é o treino com o uso de expressões pomposas como o positivo e o uso de títulos que nada valem pois não atestam nem a competência nem o carácter de ninguém e muito menos a ética e se querem saber a verdade já vi treinadores ditos “aversivos” com mais ética, carácter, educação e princípios do que alguns ditos positivos. E já agora acrescento, se uma pessoa tem que fazer parte de alguma associação para mostrar que tem valores ou para mostrar que trabalha desta ou daquela forma, então algo está mesmo muito mal! De resto volto a chegar aos cães que é o lado que me interessa. No meio destes floreados todos os cães são os que são penalizados, por tudo, porque é moda trabalhar com cães e ao que parece fica bem dizer que se é treinador ou que se tem um trabalho relacionado com cães, quando devia era ser moda olhar para um cão como um cão e tratar um cão como um cão.

João Pedro

Mania dos Cães – Educação e Treino Canino

Nariz de cão

O olfacto é um dos sentidos mais apurados dos cães, não é por acaso que um cão consegue cheirar e descobrir coisas que nós nem vemos ou imaginamos que podem estar ali ao nosso lado, desde explosivos a células cancerígenas passando por drogas, pessoas, fauna, etc. O olfacto é na minha opinião o sentido que mais nos ajuda a manter um cão ocupado uma vez que é utilizado muito naturalmente pelo cão para perceber o que se passou ou está a passar no meio envolvente e também para procurar comida, se é assim então porque não dar um “trabalho de nariz” ao cão? Muitos problemas de comportamento podem ser resolvidos ou prevenidos desta forma com bastante mais eficácia do que com a utilização de medicação.

João Pedro

Mania dos Cães – Educação e Treino Canino