As urgências e os “de repentes” na educação e treino de cães

Muitas vezes sou contactado por pessoas que utilizam frases como “tenho um problema urgente para resolver” ou então “foi de repente, aconteceu de um dia para o outro” ou “aconteceu do nada”…

Em comportamento não existem situações que surgem do nada!

Trocando por miúdos situações que surgem “do nada” ou “de repente” em cães…

Quando, por exemplo, dois cães que vivem juntos se começam a atacar isso é fruto de várias situações que se acumularam ao longo do tempo, sejam dias, meses ou até anos. O principal problema tem a ver com o facto de nós humanos nunca termos percebido que estava alguma coisa a correr mal naquele convívio e, por isso, usamos a expressão “de repente”, “do nada” ou “de um dia para o outro”. No entanto, se olharmos para a situação do ponto de vista dos cães, vamos perceber que o que aconteceu foi o descambar de um problema que vinha a piorar com o tempo.

Nas chamadas “urgências” a questão é outra, normalmente o que acontece é que um determinado problema de comportamento, seja de destruição, de mau relacionamento entre dois animais, morder pessoas ou rosnar se tornou complicado para o humano e daí ser “urgente” resolver o problema. Aqui consigo perceber o ser “urgente”, mas temos que ser realistas e perceber que a realidade é outra, sem dúvida há interesse e vontade em resolver a questão, no entanto estas questões “urgentes” são de resolução mais demorada e difícil na proporção da urgência, ou seja quanto mais “urgente”, mais difícil será e tudo porque foi uma situação que já se repetiu muitas vezes.

Muitas vezes nós humanos erramos por excessos ou carências e nos cães todos os excessos e carências trazem problemas mais dia menos dia. É importante encontrar um meio termo, um equilíbrio, e esse meio termo ou equilíbrio é diferente em cada cão, não há fórmulas ou regras que se apliquem a todos. Trouxemos os cães para o nosso mundo e por isso é nossa obrigação conhecê-los e compreendê-los para evitar problemas.

Muitas vezes dizemos que temos um problema com o cão, mas a realidade é que esse cão é que tem um problema, se lhe resolvermos o problema o nosso deixará de existir. Infelizmente hoje em dia aparece muita gente a resolver problemas aos humanos que acham que têm um problema com o cão e poucos a resolver problemas aos cães que os têm e por vezes bem sérios…

Para mim não existem “urgências” nem “de repentes”, existe a obrigação de sabermos mais sobre cães, de nos dedicarmos a eles e acima de tudo de lhes mostrarmos como se vive entre os humanos, porque afinal de contas somos nós humanos que vamos buscar os cães para nossa casa.

Como disse Jaime Vidal Santi: “Nos empeñamos que los perros sepan mucho de humanos…bastaria con que los humanos supieran un poco mas de perros…”

“Empenhamo-nos que os cães saibam muito sobre os humanos…bastaria que os humanos soubessem um pouco mais sobre os cães…”

João Pedro

Educador Canino – Mania dos Cães